Modelo de Contrato para Prestacao do serviço de Design de Interiores

Olá Parceiros!


Vamos discutir sobre este assunto? Como vocês conseguiram definir um contrato que te resguarde e que não seja abusivo para os clientes. Com definiçoes de obrigaçoes do contratado e do contratante?Já recebi vários, mais a maioria é muito longo e confuso e ainda nao consegui nenhum de fato claro e aplicavel. Também gostaria de salientar que nao posso me responsabilizar por serviço que demande contratacao de arquiteto ou engenheiro pois nao atuo nessa area.Creio que teremos muito a discutir.
Grata e no aguardo de uma luz.

Exibições: 14164

Responder esta

Respostas a este tópico

...........é a duvida é sempre a mesma e de todos os profissionais.....
voces ja perceberam que estamos desamparados e sem ninguem para nos orientar, em qualquer profissão o orgão de clarsse que a rege, luta e define esse assunto muito bem, so no nosso caso que a nossa associação não da pelota para isso e nem resolve nunca nada a esse respeito, estamos montando um grupo para discutir isso, e gostaria de muitas adesões, pois se eles não fazem alguem tem que fazer por si............
Concordo com vc Sérgio e é pelo mesmo motivo que até hoje opto em não fazer parte de nenhum orgão. Nem ABD, nem Amide, porque o que sinto é que o compromisso mensal é só nosso em pagar a mensalidade sendo que resultados não vejo desde 1999 ano em que me formei. Desde aquela época ouvi que a nossa profissão ia ser regulamentada e pelo que sei até hoje nem reconhecidos somos. Isso também é pra pensar e refletir. Estamos precisando ter mais atitude.

Sergio de Oliveira disse:
...........é a duvida é sempre a mesma e de todos os profissionais.....
voces ja perceberam que estamos desamparados e sem ninguem para nos orientar, em qualquer profissão o orgão de clarsse que a rege, luta e define esse assunto muito bem, so no nosso caso que a nossa associação não da pelota para isso e nem resolve nunca nada a esse respeito, estamos montando um grupo para discutir isso, e gostaria de muitas adesões, pois se eles não fazem alguem tem que fazer por si............
Fabíola, tb acho que estamos desamparados de lei e ordem... Vamos criar um grupo no Brasil que lute pela regulamentação da profissão, para podermos ter as respostas solucionadas... Bjs

Fabíola Santos Fraga disse:
Concordo com vc Sérgio e é pelo mesmo motivo que até hoje opto em não fazer parte de nenhum orgão. Nem ABD, nem Amide, porque o que sinto é que o compromisso mensal é só nosso em pagar a mensalidade sendo que resultados não vejo desde 1999 ano em que me formei. Desde aquela época ouvi que a nossa profissão ia ser regulamentada e pelo que sei até hoje nem reconhecidos somos. Isso também é pra pensar e refletir. Estamos precisando ter mais atitude.

Sergio de Oliveira disse:
...........é a duvida é sempre a mesma e de todos os profissionais.....
voces ja perceberam que estamos desamparados e sem ninguem para nos orientar, em qualquer profissão o orgão de clarsse que a rege, luta e define esse assunto muito bem, so no nosso caso que a nossa associação não da pelota para isso e nem resolve nunca nada a esse respeito, estamos montando um grupo para discutir isso, e gostaria de muitas adesões, pois se eles não fazem alguem tem que fazer por si............
Oi Fabíola

Creio que o grande vilão dessa história seja o CREA porque a nossa profissão ainda é mal vista por muitos, tanto é, que eles nunca se interessaram em nos conceder a carteirinha deles, porque todo arquiteto e engenheiro tem direito e nós não? dia desses fui no CREA com uns amigos de profissão e eles disseram que poderiam conceder mais se eu aceitasse ser enquadrado como curso técnico e respondi que não pq fiz o curso superior tecnologico e isso não teria lógica, mas como tem muitos arquitetos vivendo somente de arquitetura de interiores, acho que o contrato é o mesmo para todos desde que seja voltado somente para interiores.
Fabíola,
A elaboração de um contrato que cubra todas as possibilidades de problemas é realmente complicada, além do fato de que há diversos tipos de trabalhos diferentes que necessitam de cláusulas específicas.
Não existe este negócio de vc encontrar um modelo de contrato que possa usar em todos os seus trabalhos, pq os trabalhos são diferentes.
E acho o seu melhor modelo vc consegue com a experiência, vai melhorando cada vez mais o seu modelo inicial.
E nada melhor, se puder, que conversar com um administrador de empresas ou advogado. Enfim, a questão é administrativa e legal.
O Paulo Oliveira mostrou um modelo de contrato que achei bem interessante. http://paulooliveira.wordpress.com/2008/07/23/modelo-de-contrato-in...

Em linhas gerais, um contrato de trabalho deve ter (não necessariamente neste ordem):
Descrição detalhada dos serviços a serem realizados, documentos que estes serviços gerarão, prazo de elaboração e entrega destes, e (opcional, pois pode-se optar por dar um custo e prazo geral) horas e preço de cada um. (cronograma)
Descrição detalhada do que NÃO faz parte do serviço contratado.
Obrigações do cliente e do contratado.
Informações sobre o que deve ser feito, como será cobrado, etc no caso acréscimo/modificações apóso aceite da proposta ou ante-projeto.
Informações sobre como será cobrado serviço que não está no contrato, mas pode surgir (ex.: Visitas a mais do que o contratado).
Formas e momento dos pagamentos.
Responsabilidades sobre contratação e serviços de terceiros e compra de materiais, etc diferentes dos especificados.
Posso ter esquecido algum item, mas estes são muito importantes.
Espero ter ajudado
abs
Rosana
www.simplesdecoracao.com.br
Obrigada Rosana pelas dicas e informações.
Precisando de algo que eu puder ajudar é só contar comigo.

Rosana Ferreira disse:
Fabíola,
A elaboração de um contrato que cubra todas as possibilidades de problemas é realmente complicada, além do fato de que há diversos tipos de trabalhos diferentes que necessitam de cláusulas específicas.
Não existe este negócio de vc encontrar um modelo de contrato que possa usar em todos os seus trabalhos, pq os trabalhos são diferentes.
E acho o seu melhor modelo vc consegue com a experiência, vai melhorando cada vez mais o seu modelo inicial.
E nada melhor, se puder, que conversar com um administrador de empresas ou advogado. Enfim, a questão é administrativa e legal.
O Paulo Oliveira mostrou um modelo de contrato que achei bem interessante. http://paulooliveira.wordpress.com/2008/07/23/modelo-de-contrato-in...

Em linhas gerais, um contrato de trabalho deve ter (não necessariamente neste ordem):
Descrição detalhada dos serviços a serem realizados, documentos que estes serviços gerarão, prazo de elaboração e entrega destes, e (opcional, pois pode-se optar por dar um custo e prazo geral) horas e preço de cada um. (cronograma)
Descrição detalhada do que NÃO faz parte do serviço contratado.
Obrigações do cliente e do contratado.
Informações sobre o que deve ser feito, como será cobrado, etc no caso acréscimo/modificações apóso aceite da proposta ou ante-projeto.
Informações sobre como será cobrado serviço que não está no contrato, mas pode surgir (ex.: Visitas a mais do que o contratado).
Formas e momento dos pagamentos.
Responsabilidades sobre contratação e serviços de terceiros e compra de materiais, etc diferentes dos especificados.
Posso ter esquecido algum item, mas estes são muito importantes.
Espero ter ajudado
abs
Rosana
www.simplesdecoracao.com.br
E continuam os absurdos da profissão e dos colegas de trabalho.
Mais vamos pra frente pois faz parte incomodar e ser incomodado. De fato não existe o ditado "cada macaco no seu galho" a questão é querem o nosso respeito para não intervir no espaço deles mais interferem no nosso. Ainda bem que conciencia e trabalho tem pra todo mundo, usa quem quer.

Abraços Mauro e obrigada pelo comentário.

Mauro Henrique Viana disse:
Oi Fabíola

Creio que o grande vilão dessa história seja o CREA porque a nossa profissão ainda é mal vista por muitos, tanto é, que eles nunca se interessaram em nos conceder a carteirinha deles, porque todo arquiteto e engenheiro tem direito e nós não? dia desses fui no CREA com uns amigos de profissão e eles disseram que poderiam conceder mais se eu aceitasse ser enquadrado como curso técnico e respondi que não pq fiz o curso superior tecnologico e isso não teria lógica, mas como tem muitos arquitetos vivendo somente de arquitetura de interiores, acho que o contrato é o mesmo para todos desde que seja voltado somente para interiores.
Oi pessoal!

Bom, primeiramente vou me identificar. Sou Viviane e atuo na área da construção civil a quase 11 anos. Sou estudande de engenharia e recentemente quis me aprofundar na área de interiores. Vi essa necessidade pelo fato de no mundo da engenharia, as pessoas darem cada vez menos valor ao item acabamento. Trabalho com planejamento e controle de obras e a parte de contratos é sempre uma dor de cabeça.
As indefinições não são exclusividades dos projetos de interiores, mas sim em tudo o que envolve um contrato.
A "preguiça" e em muitos casos a falta de conhecimento fazem com que os leigos só se dêem conta das armadilhas quando se lembram para que serve um contrato, ou seja, na hora do desespero ou quando algum problema acontece.
Os itens que mais devem ser levado em consideração é sim o escopo. O escopo define o que é de sua responsabilidade e o que é de responsabilidade don contratante, ou seja, do cliente.
Quem assina ou confere o escopo, deve estar totalmente antenado com quem elabora o orçamento.
Muitas vezes, as pessoas aceitam um escopo sem olhar o orçamento e vice-versa.
Um outro erro é achar que um projeto é igual ao outro e que pode-se utilizar um contrato padrão, mudando apenas valores e prazos.
Cada projeto tem a sua particularidade e por mais que tenhamos experiência no desenvolvimento do projeto, é prioritária a conferência prévia do que aquele projeto em específico solicita.

Eu vi o modelo do Paulo no blog dele e gostei. É um modelo completo. Mas lembrem-se: o que define um bom contrato é o escopo detalhado, com as devidas obrigações do contratante e contratado.
Quanto mais claro e detalhado for o escopo, mais garantido será um contrato.

Abs,

Viviane
Olá Sergio, conte comigo para participar das discussões sobre o tema
Abraços

Sergio de Oliveira disse:
...........é a duvida é sempre a mesma e de todos os profissionais.....
voces ja perceberam que estamos desamparados e sem ninguem para nos orientar, em qualquer profissão o orgão de clarsse que a rege, luta e define esse assunto muito bem, so no nosso caso que a nossa associação não da pelota para isso e nem resolve nunca nada a esse respeito, estamos montando um grupo para discutir isso, e gostaria de muitas adesões, pois se eles não fazem alguem tem que fazer por si............
O modelo de contrato para designer de interiores de Paulo Oliveira é bem detalhado!!! e tem sevido de base para meus trabalhos!!!
gostaria de saber tambem

Responder à discussão

RSS

Membros

ENCONTRE

Veja alguns dos tipos de projetos que você vai encontrar aqui:

© 2014   Criado por CasaPRO.

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço