• Nome Científico: Eugenia Uniflora
  • Sinonímia:
  • Nome Popular: Pitanga, pitangueira, pitangueira-vermelha
  • Família: Myrtaceae
  • Divisão:
  • Origem: Brasil
  • Ciclo de Vida: Perene

Arvore que chega a ter uma altura de 6 a 12m, dotada de copa mais ou menos piramidal. Tronco tortuoso e um pouco sulcado, de 30 a 50cm de diâmetro, com casca descamante em placas irregulares. Folhas simples, comprimento por 1 a 3cm de largura. Flores solitárias ou em grupos de 2 a 3 nas axilas da extremidade dos ramos. Fruto drupa globosa achatada e sulcada, glabra, brilhante, vermelha, amarela ou preta quando madura, de polpa carnosa e comestível, contendo 1 a 2 sementes. Ocorre desde Minas Gerais até o Rio Grande do Sul, na floresta semidecídua do planalto e da bacia do rio Paraná. Floresce durante os meses de agosto a novembro. Os frutos amadurecem em outubro a janeiro.  A madeira é empregada na confecção de cabos de ferramentas e outros instrumentos agrícolas. A árvore é ornamental, podendo ser utilizada no paisagismo, apesar da inconveniência dos frutos que em lugares públicos podem causar sujeira. É planta amplamente cultivada em pomares domésticos para a produção de frutos, que são consumidos ao natural e na forma de suco. É recomendável seu plantio em reflorestamentos heterogêneos destinados à recomposição de áreas degradadas de preservação permanente, visando proporcionar alimento à avifauna.

 

 

Tags: Arranjos, Decoração, Jardinagem, Paisagismo

Exibições: 946

Respostas a este tópico

Silvia Linhares de Bittencourt disse:
Planta particularmente apreciada por mim, e sempre que possível, utilizada em meus projetos.
Além do carater extremamente ornamental, tem um aroma sutil nas folhas e quando floresce, é um charme só.
Sou a favor da sua utilização dela em áreas públicas.

Oi Silvia,
Concordo com você, ela é maravilhosa, como são outras espécies nativas. Infelizmente não são todos colegas que dão o devido valor a nossa flora. Se cada um de nós utilizasse ao menos um exemplar frutífero em cada projeto realizado teriamos muito mais alegria e vida nos jardins. Abraços,
Favor ler Caminhar, no lugar de "maminhar"...Obrigada.

Silvia Linhares de Bittencourt disse:
Todos os profissionais da área, sempre que possível, deveriam introduzir espécies que propiciassem a atração dos pássaros, borboletas, crianças, para que possamos sempre maminhar em busca de um novo ponto de equilíbrio;.A pitangueira é fantástica! Em todos os aspectos,,,

Rômulo Cavalcanti Braga disse:
Silvia Linhares de Bittencourt disse:
Planta particularmente apreciada por mim, e sempre que possível, utilizada em meus projetos.
Além do carater extremamente ornamental, tem um aroma sutil nas folhas e quando floresce, é um charme só.
Sou a favor da sua utilização dela em áreas públicas.

Oi Silvia,
Concordo com você, ela é maravilhosa, como são outras espécies nativas. Infelizmente não são todos colegas que dão o devido valor a nossa flora. Se cada um de nós utilizasse ao menos um exemplar frutífero em cada projeto realizado teriamos muito mais alegria e vida nos jardins. Abraços,
Estou providenciando, e assim que tiver os dados, te envio!
Abraço

Rômulo Cavalcanti Braga disse:
Silvia Linhares de Bittencourt disse:
Em tempo, gostaria de abordar o tema Pitangueira-roxa!
O porte dela é um pouco diferente da tradicional vermelhinha, não é?

Bom dia Silvia,
Esta variedade eu ainda não conheço. Você tem os dados dela para passar para o Grupo? Irei pesquisar no Google, para ver o que acho, mas é bem possível não ter nada. Se você puder passar alguns dados eu lhe agradeço em nome do Grupo. Abraços,
Rômulo, quando me referi a pitangueira roxa, estava equivocada.
É a popularmente conhecida como Pitangueira negra.
Arbusto, selvagem, porém extremamente ornamental.Veja dados abaixo:



* Frutíferas
* Ornamentais Raras
* Palmeiras
* Plantas Úteis
* Pré-bonsais
* Bromélias
* Livros

Forma de entrega Dicas para cultivo
Frutíferas
Eugenia sulcata / pitanga-negra-selvagem
Clique na imagem
para ampliar

Frutos negros, de 1 a 2 cm de comprimento, de consistência firme e sem amargor. Assemelham-se apenas no formato aos de sua prima mais conhecida, a pitangueira (Eugenia uniflora). Uma das diferenças mais evidentes são as sépalas persistentes bastante longas (ver a terceira foto). Arvoreta de 1 a 2 m, de folhas pequenas e com textura de cartolina (cartáceas), de tronco acinzentado descamante. Floresce e frutifica em abundância.

Usos: Os frutos são comestíveis ao natural, e atraem pássaros. A planta é um espetáculo quando em floração e/ou com brotações novas, que são marrom-avermelhadas.

Cultivo: Climas tropicais e subtropicais, a sol pleno, em solos bem drenados. Beneficia-se de uma boa adubação, podendo frutificar a partir de dois ou três anos de idade. Pode ser mantida com muito sucesso em vasos e bonsais.

Origem: Restingas da Costa Atlântica brasileira, bem como a grande bacia do Rio Paraná.

Família: Myrtaceae.

Observações: Ainda muito pouco conhecida, merece ser mais aproveitada no paisagismo brasileiro.
Oi Silvia,
Com essa temos mais uma para a nossa coleção: Agora mesmo apresentei a Begônia Negra, um exemplar nativo de nosso país que poucas pessoas a conhecem e ninguém a comercializa. No entanto é muito procurada e faz muito sucesso no exterior. É o mesmo caso da Pitanga Negra, também nativa, mas poucas pessoas a conhecem. Abraços,

RSS

Membros

ENCONTRE

Veja alguns dos tipos de projetos que você vai encontrar aqui:

© 2014   Criado por CasaPRO.

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço